Diversos

Web Design: Por Que Não Usar o Internet Explorer

Anúncios Google

Para quem já tem mínima intimidade com web design, o fato de que o Internet Explorer é a pedra (ou seria prego?) no sapato dos profissionais da área não é novidade. O navegador da Microsoft, que um dia já foi praticamente onipresente nos computadores mundiais, veio gradualmente perdendo espaço para o Mozilla Firefox, e mais recentemente, Google Chrome.

Qual a razão dessa perda? Afinal, se um leigo pensar rapidamente, pode chegar à conclusão de que, se navegadores mais modernos surgiram, a Microsoft, com seu gigantismo, faria melhorias em seu produto, para equipará-lo ou mantê-lo à frente dos concorrentes.

Pois foi exatamente o que não aconteceu. Em vez disso, falhas de segurança consecutivas e uma inacreditável competência em não acompanhar adequadamente as novidades, como no caso do CSS3 (uma linguagem responsável pela formatação e “maquiagem” das páginas web), foram tornando outros browsers cada vez mais populares.

Ainda Líder, Mas Por Quanto Tempo?

Hoje, o Internet Explorer ainda é o líder, com cerca de 45% de mercado mundial (veja o gráfico mais abaixo). No mercado brasileiro ocorre o mesmo, seguindo a tendência mundial, com o Chrome já assumindo a segunda posição entre os mais usados, desbancando o Firefox; em nível mundial, este ainda tem boa vantagem, cerca de 10% à frente do concorrente do Google.

Em algumas regiões, o IE tem liderança “à moda antiga” – na China, detêm quase 90% do mercado. Na América do Sul e Oceania, vê o Chrome se aproximar cada vez mais (em alguns países, como Chile e Uruguai, já perdeu a liderança para o Chrome); na Europa, perdeu o primeiro posto para o Firefox desde o fim de 2010, e continua descendo a ladeira.

Ou seja, em todas as regiões do mundo (exceto na região Antártica, como você pode checar aqui), o domínio ainda é do Internet Explorer. Mas o pessoal da Microsoft continua trabalhando firme para perder esse posto.

Navegadores mais usados no Brasil de junho/2010 até maio/2011 - por StatCounter

Navegadores mais usados no mundo entre junho/2010 e maio/2011 - por StatCounter

Atualização 07/01/13: felizmente o IE já perdeu a liderança, sendo hoje o Chrome o navegador mais usado no Brasil e no mundo.

Beleza Pra Quê?

Um usuário lendo isso tudo pode se perguntar “E eu com isso? Problema dos designers, eu só uso o Internet Explorer, eles que façam o serviço deles“. A questão é que, sem se dar conta, você pode estar deixando de aproveitar uma série de recursos de sites que visita, além de ter, COM TODA A CERTEZA, uma experiência visual mais pobre em sites modernos, em relação ao que teria com um dos navegadores concorrentes.

Muitos não dão a mínima importância para isso, mas é bom que saibam o quanto uma página pode diferir ao ser vista no Internet Explorer e em um navegador de melhor qualidade.

Grande parte dos desenvolvedores se preocupam com as deficiências do Internet Explorer ao criar uma página, já que certos sites são de necessidade básica e acessibilidade neste caso é muito mais importante que beleza (caso de sites de serviços públicos, como bancários, hospitalares, etc).

Internet Explorer 6 – O Atraso do Mundo do Design

O pior é que ainda são usados por aí navegadores muito antigos, como o praticamente “jurássico” Internet Explorer 6… Essas palavras são capazes de causar reações diversas em designers experientes, todas negativas.

Lançado em 2001, a sexta revisão do navegador da Microsoft foi distribuído junto com o Windows XP, daí sua grande popularidade: muitos usuários continuavam usando o browser que vinha junto com o sistema.

Por falta de conhecimento sobre como atualizar o navegador, ou medo de migrar para uma versão mais moderna e talvez mais complicada, quem usa o IE6 causa, involuntariamente, problemas sérios aos designers que insistem em manter suas páginas compatíveis com todos os navegadores, sendo obrigados a criar “gambiarras” nos códigos, “tesourando” recursos e eliminando detalhes – estes são os únicos caminhos para que páginas modernas tenham aparência pelo menos aceitável ao serem abertas no IE6.

Hoje, menos de 2% dos computadores do Brasil ainda usam o IE 6, mas obrigam designers a seguirem atados às limitações deste.

Atualização: o IE6 está praticamente erradicado no mundo, com presença só em certos mercados (na superpopulosa China, é o 4º mais usado, atrás apenas dos irmãos mais novos Explorer 8 e 9, e do Chrome). 

Existiram até movimentos como o Boycott Internet Explorer 6, destinado a conscientizar os internautas da urgência em atualizar seus navegadores, e designers, da necessidade de abandonar qualquer tipo de suporte ao browser, o que causaria uma “atualização forçada” por seus usuários.

Detalhe da página do movimento "Liberte a Web, boicote IE6"

A própria Microsoft sabe da necessidade de eliminar o uso desta praga digital chamada Internet Explorer 6, tendo lançado a campanha The Internet Explorer 6 Countdown, com um contador mundial de usuários, numa contagem regressiva até atingir a meta de 1% de uso. O site oferece informações sobre os benefícios de atualizar o navegador, além de banners educativos.

Site do Internet Explorer 6 Countdown

As opiniões sobre o assunto são diversas, já que, como dito antes, em alguns casos é fundamental a compatibilidade das páginas com navegadores antigos. Mas o fato é que, enquanto aqueles que tem possibilidade de atualizar seu Internet Explorer, ou de preferência trocar de navegador, relutarem a fazê-lo, suas experiências continuarão sendo mais pobres – arrastando todos os demais usuários no mesmo caminho.

Internet Explorer 10: Vai Resolver?

Ainda que tenha melhorado nas últimas versões, o IE continua apresentando problemas que outros navegadores superam, principalmente com uso de fontes personalizadas através da propriedade @font-face (até quando seremos obrigados a usar o formato .eot para garantir a visualização correta?) e uso de sombras por box-shadow ou text-shadow, em CSS.

A décima versão promete resolver todos os problemas que os irmãos mais velhos apresentaram, mas já começou com um dos grandes para os que tiveram a infelicidade de adquirir o malfadado Windows Vista: esse sistema não será suportado, sendo o Windows 7 requisito mínimo. Com isso, a Microsoft torna-se uma das primeiras empresas a deixar de suportar o Vista, sua própria e renegada criação.

Atualização: uma versão de testes foi liberada para o Windows 7, sendo o navegador final compatível só com o Windows 8.

Honestamente, não acredito em um retorno triunfal do IE. Mas terei que esperar, para não queimar a língua.

Página do Tutoriart no Internet Explorer 10 Preview e no Chrome: nota-se que o problema com @font-face vai continuar...
Página antiga do Tutoriart no Internet Explorer 10 Preview (menu não usa fonte personalizada) e no Chrome:  o problema com @font-face deve continuar…

Uso Internet Explorer. Tem Cura, Dr?

Para se livrar de todas essas mazelas, é muito simples: baixe um navegador de primeira linha e esqueça o Internet Explorer. Se você é viciado nele, acha que não vai conseguir usar outro, que é muito diferente… esqueça: eles são até mais simples de usar, deixam o usuário menos tempo esperando e apresentam páginas mais bonitas. E também ajudam os designers a soltar a criatividade, sem as limitações impostas pelo IE, especialmente em versões mais antigas.

Navegadores Recomendados

Todos esses navegadores são gratuitos e com versão em português:

1º Chrome

Google Chrome

Número um no mundo, até por ser cria do Google e ter todo seu suporte. Navegação em guias, extensões, perfeita leitura de recursos modernos, é notadamente o mais rápido entre os navegadores, segundo testes feitos. Com a futura chegada do sistema operacional do Google, deve ganhar ainda mais importância.

1º RockMelt

RockMelt

Isso mesmo, dois primeiros-lugares. Navegador quase gêmeo do Chrome, já que são criados sobre a mesma “estrutura” de código. Diferenciam-se apenas pelo fato do RockMelt ter recursos a mais para integração com perfis de redes sociais, como Twitter e Facebook, com atualização rápida no perfil e botão integrado para compartilhamento de conteúdos, entre outras. Para quem não desgruda de perfis sociais, é simplesmente imperdível.

2º Firefox

Mozilla Firefox

O segundo mais usado no mundo, muitíssimo simples de usar e com mais recursos que o Internet Explorer, especialmente nas extensões – pequenos aplicativos que podem ser inseridos, dando novas funções ao navegador.

Peca em alguns pontos, como baixa tolerância a erros em script e CSS, em pontos onde Chrome e Safari geralmente corrigem.

3º Opera

Opera Browser

Um dos mais injustiçados e subestimados navegadores. Pioneiro em muitas inovações, como navegação por guias e uso de extensões, foi sumariamente copiado por outras empresas, e sempre ficou relegado a um segundo plano. Isso não tira a qualidade do Opera, um navegador rápido, moderno e com recursos exclusivos como o Opera Unite.

4º Safari

Safari

Se você é usuário de Mac, já conhece de longa data. Para os demais, este é o navegador padrão dos Mac. Conta com recursos que dão muita beleza e elegância, como o Top Sites, que mostra as páginas mais visitadas ou mais recentes em um belo painel.

Para instalar um dos navegadores, não tem nenhum segredo. Execute o programa… avançar, avançar, ajustes básicos como idioma e finalizar. Qualquer usuário com mínima experiência em informática consegue fazer isso.

Portanto, se você ainda é usuário do browser da Microsoft, tome uma atitude e mude agora. A evolução do web design agradece.

Author

Fundador do Tutoriart em 2010, é ex-instrutor de Photoshop, design web e gráfico. Em quase uma década de redação online, tem cerca de 1500 artigos publicados. Gerencia também o Memória BIT.

3 Comments

  1. Pingback: De mudança… Ou não! | Profº André David

  2. Pingback: O que a internet pode oferecer a web designer « Luana

Write A Comment

Pin