Monetização

Monetização: porque ganhar dinheiro com anúncios é difícil

Não entre na ilusão do dinheiro fácil: fazer dinheiro com monetização de sites é MUITO difícil.
Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr
Anúncios Google

Antes de qualquer coisa: não se iluda com o que vê por aí, tipo “tenho incríveis ganhos, ganhe você também“. Ganhar dinheiro com sites não é para todos. É trabalhoso, demorado e promessas de dinheiro fácil são puro charlatanismo para atrair visitantes e esses sim, fazer dinheiro em cima de você. Cuidado ao acreditar que é só criar um blog e largar o emprego.

Tem um blog e quer ganhar dinheiro com ele? Não é vergonha nenhuma. Ao escrever na internet, você produz um conteúdo, que será oferecido quase sempre gratuitamente aos leitores. Não há nada de errado em querer algum retorno por isso, apesar de tentarem obrigá-lo a acreditar no contrário.

Há inúmeras formas de alcançar isso, algumas mais e outras menos rentáveis. Mas para começar a pensar em ganhar dinheiro, entenda que aquilo não é brincadeira. O projeto deve ser levado a sério, pra que seus leitores também o façam. Exige dedicação, estudo, até alguns pequenos sacrifícios, como em qualquer atividade séria da vida.

Conteúdo é Rei

Primeiro erro clássico: viu uma promessa de “ganhe muito dinheiro com seu blog“, “como ganhar dinheiro fácil com seu blog“. Acreditou e pensou “oba, vou começar um blog, e, como sou esperto e confio no meu taco, em dois ou três meses posso deixar meu emprego“. Fantasiei um pouco no pensamento, mas é quase isso.

Como diria o Pe. Quevedo:

Isso non ecziste, Pe. Quevedo diria

Antes de visar dinheiro, ofereça algo ao visitante, e não é qualquer ajuntado de três parágrafos mal escritos. Escreva posts de qualidade, que acrescentem algo, que você mesmo gostaria de ler.

Se ninguém visitar seu blog, não tem monetização que dê certo. Sad, but true 😪

Como escrever artigos de qualidade?

Você precisa ter conhecimento sobre o que vai escrever.

Apenas apelar ao tio Google e sair copiando tudo por aí não funciona. Talvez consiga visitantes, mas será um sucesso passageiro — dura até o Google penalizar seu site por cópia de conteúdo. E quando acontecer, ele perderá:

  • relevância na pesquisa: estará sempre atrás de outras nos resultados de busca, perdendo visitantes.
  • credibilidade pública: quem vai considerar um site que só copia matéria alheia?

Importante também é gostar do assunto sobre o qual escreve. Já comecei sites por pura aventura e não duraram nem um ano, porque depois de 50 ou 60 artigos, não tinha mais ânimo nem ideias de texto. Pode ser bacana escrever sobre culinária durante um mês se você não tiver real interesse, mas em meses ou anos, vira tortura. O provável que você não aguente.

Então, pensar “vou escrever sobre temas que rendem mais” não funciona se você não gostar daquilo. Escrever sobre algo que aprecia é meio caminho para um projeto duradouro.

Outro ponto fundamental é ter um site organizado e fácil de navegar. O Google leva muito em consideração a facilidade do visitante ao encontrar o que procura, a velocidade de carregamento em dispositivos móveis, e o uso correto de formatação (cabeçalhos, marcações para rich snippets, etc).

Confira nosso artigo sobre como usar as marcações do Schema.org no WordPress. A estrutura é basicamente a mesma para outros gerenciadores de conteúdo.

Melhores nichos?

Todo nicho pode ser monetizado“.

Verdade, mas também é que alguns nichos são mais fáceis de monetizar que outros, pelo tipo de público interessado.

Assuntos técnicos são mais difíceis de monetizar através de ganhos por clique, pois a maior parte dos usuários ignora anúncios ou qualquer coisa parecida. Quanto mais especializado e/ou acostumado com tecnologia o público, maior a dificuldade em monetizar por vias tradicionais como AdSense.

Por que meus anúncios não funcionam?

Algumas possibilidades:

Posicionamento e estilo. Existe um fenômeno conhecido como “banner blindness”, ou em português, “Cegueira de Faixa“. Não é achismo, ou opinião: é um fato. As pessoas tendem a ignorar conteúdo diferente do procurado numa página, e o cérebro cria padrões para localizar esse conteúdo baseado em experiências anteriores.

Por exemplo: ao visitar muitos sites ao longo de anos, seu cérebro memorizou a posição média do que é conteúdo ou anúncio. Assim, mesmo que de forma inconsciente, a tendência é levar os olhos ao ponto de conteúdo, ignorando o resto. Por isso alguns sites mudam a posição da barra lateral, dos anúncios ou até do site todo de tempos em tempos.

Relevância: de fato, boa parte dos anúncios não tem a mínima utilidade para o leitor geral, com exceções. É importante conhecer as ferramentas para fornecer anúncios mais relevantes possíveis.

Escolha do sistema de ganhos

Há vários meios de ganhar dinheiro com blogs e sites. Entre os mais usados:

Google AdSense

Ganhos por clique: sistemas como o AdSense do Google, o mais popular, é um dos que pagam por clique recebido (PPC, de pay per click).

É simples: você cria uma conta no Google, adere ao serviço do AdSense e, quando for aprovado, pode criar blocos de anúncio para exibir no seu blog, até um certo limite (três blocos de links, três imagens com link e duas caixas de pesquisa personalizada).

Você ganha por cliques de visitantes em seus anúncios, e por visualizações. Se seu blog estiver otimizado (com palavras-chave adequadas nos posts, por exemplo), os anúncios serão automaticamente contextualizados: se o artigo fala sobre carros, os anúncios tem mais chance de serem sobre carros, aumentando o interesse dos visitantes e garantindo maior rendimento.

O Google é muito rígido com as regras. Há muitas proibições, como mascarar links de anúncio como se fossem de navegação do site, misturar anúncios com outras imagens para confundir o visitante, criar blogs só de anúncios, colocar anúncios em janelas popup (aquelas pentelhas que abrem sem você querer ao clicar em algum lugar), colocar anúncios em conteúdo como downloads ilegais e pornografia, etc. Se tentar bancar o “espertinho” de qualquer forma, para burlar os cliques naturais, você será banido do sistema, sem direito a receber qualquer coisa que tenha ganho.

Não é permitido também pedir cliques aos visitantes, pedir para amigos clicarem em anúncios, nem oferecer vantagens em troca de cliques. Tudo isso será detectado pelo Google e você, punido.

Por outro lado, você pode posicionar anúncios, usar cores e fontes oferecidas pelo Google para tornar os links mais integrados ao seu template (sem tentar camuflá-los como links normais). Os ganhos variam de acordo com fatores diversos, sendo que alguns cliques podem lhe render centavos, e outros mais de US$1,00.

Outros sistemas…

de afiliados, como o Kontextua e o Luminate, permitem a exibição de anúncios sobre as imagens do site, interessante para blogs fotográficos e artísticos. Acho meio invasivo, atrapalha a visualização, mas pode funcionar em casos específicos.

O Hotwords é outro sistema bem conhecido, que implanta links automáticos nos textos do seu blog, e você ganha por cliques ou visualizações. Muitos usuários reclamam do baixíssimo valor pago, sendo útil só em sites de muito grande visitação.

Além do AdSense, outros sistemas de afiliados oferecem opções de ganho por clique, mas são bem mais raros.

Ganho por venda / comissão: a velha ideia do “representante comercial”: você oferece produtos e serviços em seu blog, e ganha quando algum visitante compra pelo seu link de indicação. Ao contrário do anterior, não adianta ter 50 mil cliques: se ninguém comprar, você não ganha nada.

Funciona em blogs de nicho, por exemplo: um blog sobre tecnologia e internet tem mais potencial de venda de cursos, livros e DVDs técnicos. Blogs de culinária podem vender produtos de cozinha e afins… Sistemas como o Lomadee e o europeu NetAffiliation têm muitas opções de anúncio assim.

O Cursos 24 Horas também gera receita na venda de cursos online.

Para blogs sobre design web, é comum o uso de afiliados para venda de temas e extensões, como o ThemeForest, e outros que vendem aplicativos, imagens e arquivos de utilidade geral.

Há ainda grande quantidade de sistemas de afiliados que pagam por comissão, seja por venda, cadastro, etc. Entre eles, podemos lembrar ainda de Mercado Sócios (do Mercado Livre), Submarino, etc.

Outros modelos

Conteúdo restrito por assinatura paga: venda de assinaturas do blog, em troca de acesso a áreas restritas, com vantagens adicionais. É o mesmo que muitos sites e portais grandes já fizeram por causa dos baixos rendimentos de anúncios, o paywall.

A não ser para blogs que ofereçam produtos (e não informações) exclusivos aos que assinam, cria um “ilha de conhecimento”, acessível aos assinantes, ficando os demais visitantes restritos aos posts grátis. Só serve se o seu conteúdo é MUITO bom e justifique uma assinatura.

Venda de publicidade: quando seu blog tiver um bom número de visitantes — muitos dizem que, abaixo de 1000 por dia, nem pensar — poderá lucrar com venda de espaço para anunciantes, que com um pagamento mensal, terão o direito de exibir um banner ou bloco de texto em seu blog.

Os valores variam muito, sendo tema de muita discussão, e sem fórmula precisa. A maior parte dos blogueiros faz seus próprios cálculos de quanto vale seu trabalho, para chegar ao valor do anúncio com base em visualizações de página ou CTR (taxa de cliques da página, ou a média de quantas vezes seus anúncios recebem cliques por cada vez que o anúncio é visto).

Nesse mesmo modelo, encaixa-se também a venda de posts patrocinados: um anunciante terá um artigo publicado em seu blog, falando sobre seu produto / serviço, pagando um valor fixo por isso. Também só funciona para blogs com muitos visitantes, senão o cliente não terá o retorno esperado.

💰

Seja qual for sua escolha, tenha em mente que nenhum dos métodos é muito mais fácil que outro. Há fatores a considerar, então modelos que funcionam para um, podem não servir para outros. Ganhar dinheiro é difícil. Senão, todos já teriam largado os empregos e estariam ficando ricos na internet. Não acredite em quem diz o contrário, é mentira.

Se nunca mexeu com nada disso, terá um longo caminho pela frente, aprendendo sobre otimização, como tornar seu blog mais relevante para os motores de busca, etc… Coisas que serão absorvidas com experiência.

Imagem do post: FreeImages

Fundador do Tutoriart em 2010, é ex-instrutor de Photoshop, design web e gráfico. Em quase uma década de redação online, tem cerca de 1500 artigos publicados. Gerencia também o Memória BIT.

2 Comments

  1. Como se diz não adianta ter um site bonito mas não tem conteúdo de qualidade, o conteúdo realmente é Rei, e parabéns pelo otimo conteúdo.

Write A Comment

Pin