Monetização

Direito autoral no YouTube: cuidado para não violar as regras

Cuidado com o direito autoral no YouTube! Se não tiver certeza de que seu conteúdo é 100% seu, corre o risco de ser banido e perder seu saldo.
Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr
Anúncios Google

Já faz tempo que o YouTube oferece opções para monetizar vídeos com anúncios vinculados a uma conta AdSense. A gente até acha chato ter que ver um banner no rodapé (ou aqueles insuportáveis cinco segundos de espera, formato que eu detesto), mas quem produz vídeos bacanas pode ter ali a única fonte de compensação por seu trabalho.

O problema — pra quem os cria e quer, com toda a justiça, faturar uns trocados — é que nem todo vídeo está apto a isso. O direito autoral é cuidadosamente vistoriado lá, e as punições para infratores variam de bloqueio de visualização em certas regiões do mundo, até exclusão da sua conta, dependendo da gravidade e reincidência de erro.

Preste atenção ao regulamento. Não adianta juntar uma bela grana e depois tomar ban

Vídeos válidos

Basicamente, você só pode ganhar dinheiro com vídeos no YouTube, sentindo-se 100% seguro, se ele for integralmente de sua autoria. Em qualquer outra situação, sempre haverá parêntese aqui ou dúvida ali, tipo alguém pedindo divisão dos lucros ou apelando a medidas mais drásticas.

by-ncO que “integralmente de sua autoria” quer dizer? Desde a produção até tudo que ele contiver, incluindo trilha sonora. É o cenário mais seguro de todos, embora muito difícil de acontecer na vida real. Até pode ser tudo de terceiros, desde que distribuído sob alguma licença permissiva, que inclua monetização, como as Creative Commons exceto as não-comercial — se tiver esse ícone aí na licença, cuidado porque o material NÃO PODE SER USADO em vídeo monetizado.

Há “brechas”, como uso justo de pequenos trechos de obras alheias com fim educativo, jornalístico ou crítico. Por exemplo: uma lição sobre Photoshop não está violando direitos da Adobe, se for mesmo um vídeo educacional e não abusar da imagem do produto.

Casos que seguem diretrizes de monetização (tirado dos fóruns do YouTube):

  • Você filmou seu gato, sem música de fundo ou qualquer marca registrada visível.
  • Seu vídeo tem música isenta de direito autoral, ou você pode comprovar os direitos comerciais com links diretos para a música e para a licença aplicável.
  • Sua banda escreveu e gravou a música do seu vídeo, ou a banda do seu amigo o fez e declara por escrito que você pode usar e gerar receita com ela.

Por outro lado, não estariam aptos:

  • Música que você comprou para uso pessoal (sem licença comercial), por exemplo no iTunes ou em outra loja.
  • Material que você achou na internet e não pode provar que está sob domínio público.
  • Você cantando sua música favorita protegida por direitos autorais. Isso mesmo: vídeo de karaokê com músicas que não sejam suas também não pode; precisa autorização da gravadora e / ou artista.
  • Conteúdo de outra pessoa sem permissão, mas ainda não recebeu um aviso de direitos autorais (veja mais adiante, em Avisos).
  • Com outros trabalhos que você editou ou misturou sem autorização.
  • Usando “só” 30 segundos de um clip musical ou vídeo sem justificativa.
  • Sem atribuição de créditos conforme solicitado por uma licença ocasional.

Com dá pra notar, ao menos no papel é BEM rígido. A grande mancada é que por esses exemplos (que tirei das diretrizes), até vídeos com músicas remixadas não poderiam ser monetizados. Será que todos os vídeos de rappers e DJs que usam sample não são monetizados? Estranho, mas enfim, nesse caso use por sua conta e risco.

Vídeos que não sejam considerados qualificados para monetização e tentaram fazê-lo, podem ser excluídos a qualquer momento, já que por consequência estão violando direito autoral.

Lembre que o Google, mesmo com aquele lance de “somos diferentes“, “empresa divertida” e etc, na essência é uma empresa como qualquer outra, e quer (precisa) fazer dinheiro. Se nosso vídeo está lá ocupando servidor sem virar grana, não tem grande serventia pra eles, não é?

Avisos imprecisos

Pra piorar, as notificações não são muito precisas. Como é impossível fazer verificação de tudo que os usuários enviam em tempo real, scripts (sujeitos a falhas) detectam o conteúdo para checar o que pode ou não ser monetizado. Tem vídeos claramente com conteúdo protegido, que pela regra não podem ter anúncios, aparecendo como “qualificados para monetização” — mas se você monetizar, vai quebrar o contrato de uso e pode ser punido.

Por exemplo, meu canal de um outro site, sobre videogames antigos. Tenho poucos vídeos lá, são basicamente gameplay (demonstração de jogos); logo, conteúdo protegido por direito autoral. Pela segurança da minha conta AdSense, não ativei anúncios na maioria deles, mas olha a mensagem no painel Monetização:

videos ativos para monetizar

Se eu fosse um afoito, clicaria no botão e ativaria a monetização em todos os vídeos, e claro que me ferraria. Você deve conferir cada vídeo, cada conteúdo individualmente.

Como ativar a monetização

Em gerenciador de vídeos, clique no vídeo e na sua página de configurações, na guia Monetização. Marque a caixa “Gerar receita com meu vídeo”.

gerar receita com meu vídeo

Só então vem o aviso de que você deve se responsabilizar sobre o vídeo e ter o direito autoral de todo o conteúdo. Então, TOME MUITO CUIDADO ANTES DE CONCORDAR.

Termo de responsabilidade sobre conteúdo

Em seguida, ajuste os tipos de anúncios que aparecerão: sobreposição (aqueles banners que ficam na parte inferior), TrueView InStream (os sacanas que te obrigam a esperar cinco segundos ou mais) ou a terceira opção, caso seu vídeo seja comercial para oferecer um produto.

opções de anúncios youtube

Fez tudo? Salve e fim. Veja que na página de Gerenciamento de Vídeos, um cifrão estará ativo do lado dele, marcado como “em revisão”. Ou seja, agora alguém vai checar se seu vídeo pode mesmo lucrar.

Então por que a mensagem de “seus vídeos estão qualificados” antes? Só pra confundir o usuário?

em revisão para monetização

Como vincular AdSense e YouTube

Se já tem conta AdSense, faça o vínculo com o YouTube para controlar seus ganhos, visite esse link. Clique em próximo para ser redirecionado ao AdSense.

vincular adsense youtube

Confirme o login com a conta que já tem no AdSense. Se não tem, ou usa diferentes e-mails para login no YouTube e AdSense, clique em “Usar uma conta diferente ou nova”.

seleção de conta para vinculo adsense youtube

Cheque as informações e ajuste o que for preciso (endereço do canal que exibirá os anúncios, idioma de seus vídeos e aceitação dos termos de uso). Clique em Aceitar associação.

A partir daí, sua conta AdSense está vinculada ao YouTube, portanto atenção com violações acidentais. Tenha CERTEZA de que tudo que postar lá está de acordo com os termos, senão sua conta AdSense estará sob risco de suspensão ou até exclusão, de acordo com o nível da violação.

aceitar associação adsense youtube

Aguarde o redirecionamento para o YouTube…

redirecionamento para youtube

Não importa quantos canais você tem, eles podem ser todos vinculados a uma única conta AdSense, seguindo os mesmos passos, e aí todos os ganhos vão pra lá. Mas lembre-se que se houver grave violação em um só dos canais, adeus AdSense, e aí não sei se eles aceitam vincular os demais canais a outra conta.

Convites de monetização: atenção

Se você escolheu não monetizar vídeos por não ter certeza se pode — ou tiver quase certeza de que não pode — e um deles tornar-se popular (geralmente quando chega a mais de dez mil visualizações), talvez receba por e-mail a mensagem:

Prezado(a) Fulano,
O seu vídeo X pode ser qualificado para o Programa de Parcerias do YouTube, o que permite a você ganhar dinheiro com as reproduções dele.

Ganhar dinheiro com o seu vídeo é fácil. Funciona deste modo: primeiro, faça login na sua conta do YouTube. Depois, analise e execute as etapas descritas aqui: link.

Se o seu vídeo for aprovado, começaremos a colocar anúncios ao lado dele e pagaremos a você uma parte dos lucros, contanto que atenda aos requisitos do programa.

Estamos ansiosos para incluir o seu vídeo no Programa de Parcerias do YouTube. Obrigado e boa sorte!

Equipe do YouTube

Recebi um desses num vídeo de FIFA e fiquei logo feliz, achando que poderia faturar um trocado, mas alguma coisa estranha me deixou em alerta. Reparou que eles não dizem em momento algum “seu vídeo está qualificado, coloque o anúncio e vamos ganhar dinheiro“? É só um “pode ser que seu vídeo esteja qualificado“.

Então, mesmo que ele esteja bombando, se tiver conteúdo que não seja seu, NÃO ATIVE ANÚNCIOS, ou tenha certeza do que está fazendo.

Como monetizar vídeos de games?

Pra completar o exemplo que citei antes, existem formas de monetizar vídeos com trechos de games. Afinal, grandes canais como os da IGN e o Angry Video Game Nerd o fazem. Como conseguem?

  • Alguns usam sistemas como o Machinima, que repassa parte do lucro aos detentores de direito autoral, assim o uso fica legalizado. Claro que seu ganho será menor do que para vídeos originais. É indicado pra quem produz trabalhos derivados de games, como curtas e animações com personagens ou trechos de gameplay, cenários, etc.
  • Outros estão protegidos pela lei americana (que se aplica ao YouTube, com sede lá) do “fair use”, ou uso justo. Resenhas e críticas são consideradas construtivas, portanto podem exibirmateriais protegidos por lei de direito autoral, desde que não usados em abuso ou fora do contexto.

Essa página também cobre o tema, deixando claro que:

Sem a licença adequada do editor, o uso de jogos de videogame ou da interface de usuário de um software deve ser mínimo. Será possível gerar receita com o conteúdo de videogame se a explicação passo a passo associada for estritamente relacionada à animação que é exibida e se fornecer valor educativo ou pedagógico. Os vídeos que se limitarem a mostrar um usuário jogando videogame ou usando um software por tempo prolongado podem não ser aceitos para monetização.

O que é mínimo? Não sei, vai do seu bom senso e da situação. Dez segundos pode ser muito se o vídeo tem 30, mas num vídeo longo, onde o software é fundamental, caberia o “uso justo”. Nessa visão, mesmo num vídeo de uma hora, um software aparecendo como ferramenta teria papel menor diante do conteúdo que seria a lição, tutorial, etc.

Quanto aos jogos é mais claro: simplesmente gravar a partida sem motivo algum não pode, deve ter conteúdo crítico, técnico, etc; precisa ter algo a dizer.

Resumindo…

Se você consegue criar vídeo com conteúdo original, vá em frente e seja feliz com seus ganhos. Em canais de sucesso, estima-se que os ganhos ultrapassem R$60 mil por mês.

Mas se seu vídeo, mesmo com trechos originais, tem partes importantes que não pertencem a você, só se tiver certeza absoluta de que é “fair use“. É difícil dizer se a equipe (ou scripts) de avaliação no YouTube concorda com seu jeito de ver as coisas. Numa bobeira você perde a conta AdSense — e todo o saldo que sofreu horas a fio na frente do computador pra juntar.

Importante: não sou funcionário do Google ou YouTube, esse artigo não é uma palavra oficial, mas resultado de minhas pesquisas e experiências pessoais. Antes de fazer qualquer coisa, não deixe de ler os termos de uso do YouTube.

Fundador do Tutoriart em 2010, é ex-instrutor de Photoshop, design web e gráfico. Em quase uma década de redação online, tem cerca de 1500 artigos publicados. Gerencia também o Memória BIT.

Pin