Primeiros Passos

Como Escolher um Assunto (Nicho) Para o Blog?

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr
Anúncios Google

Você gosta de ler, escrever e principalmente da ideia de transmitir conhecimentos que adquire – e quem sabe até virar profissional disso. Mas precisa do primeiro passo: escrever sobre o quê?

Depois de tanto tempo lendo seus blogs favoritos, você tomou uma importante decisão: quer ter um blog também. Como na vida profissional, é um passo importante, que vai determinar como você passará muitas horas de sua vida nos próximos meses/anos, o que vai ler, sobre o que vai pesquisar…

Quase todo mundo fez aqueles testes vocacionais quando estava concluindo o ensino fundamental ou médio. A objetivo deles era ajudar o aluno a identificar-se com alguma profissão, que fosse de nosso gosto e aptidão para os futuros estudos. Lembro de ter feito e o resultado foi bem fiel à minha personalidade e gostos: artes plásticas, tecnologia e precisão.

Com tais interesses, era bem improvável que eu fosse feliz se seguisse carreira em dança, culinária, matemática… Quando começamos um blog não é muito diferente: você tem que decidir o assunto que vai cobrir, pois ele será base de várias escolhas fundamentais, como URL, nome do blog, visual, template…

Tudo está ligado, e errar no passo inicial resulta em extender o erro a todos os outros.

Dúvida: como escolher um tema para meu blog?
Dúvida: como escolher um tema para meu blog?

Salada de Assuntos

Pelo menos ao escrever no seu blog, esqueça o que sua mãe dizia: salada não faz bem. Se você não mantiver o foco sobre seu assunto central, é certo que vai afastar a maior parte dos leitores.

Exemplo: você decidiu manter um blog sobre colecionar selos. Lá no blog, escreve com alguma frequência sobre suas aquisições, de amigos, sobre selos raros, cotações… É de se esperar que pessoas com os mesmos gostos que os seus – ou parecidos –  leiam seus artigos.

Aí você viaja nisso e pensa “oras, se eles são parecidos comigo, também devem ter interesse em colecionismo em geral“, então começa a escrever também sobre coleções de tampas de garrafa, carros e botões de futebol.

E seu blog virou a salada. O leitor que visitava porque queria ler sobre selos, encontra artigos e a caixa de email cheia de notícias sobre coleções de vinho, e cancela a subscrição. Na tentativa de agradar muita gente, você acaba desagradando a maioria, pois dentro do assunto colecionismo há vários sub-assuntos muito distintos.

Se notar que os assuntos são muito distintos e não adequados a todos os seus leitores, prefira criar outro blog. Um exemplo bem conhecido disso são as “Escolas…” do Paulo Faustino. Cada tema fica separado em um lugar diferente: Escola Dinheiro, Escola WordPress, e assim por diante. Embora elas façam parte de um projeto conjunto, são direcionadas de forma única.

Nichos

Blogs de nicho são os que tratam de um tema específico e que normalmente tem algum potencial de exploração interessante. Por serem mais direcionados, não permitem muita variação no assunto das postagens.

Exemplo: um blog não-nicho seria onde você fala sobre seu hobby, depois posta a foto do seu cachorro vestido de superman, depois fala sobre questões da faculdade… Um blog jovem, com fatos do seu cotidiano, que pode agradar o pessoal da sua faixa etária, mas sem um assunto fixo.

Um blog de nicho: você é profissional do mercado financeiro e decide falar sobre bolsa de valores, fundos de investimento, renda. Após pesquisar sobre o tema, descobriu que há poucos blogs sobre o assunto, ou poucos com a qualidade que você gostaria de ver. Seu blog vai tentar explorar essa deficiência para trazer conteúdo interessante e crescer. Não há nenhuma possibilidade de você “viajar” nos posts desse blog, a não ser que queira perder visitas.

Blog de nicho pode ser duro com o autor se ele não estiver preparado: exige conhecimentos mais específicos e muita criatividade para escrever (é fácil ficar sem assunto se não tiver um bom arsenal de ideias para compartilhar); por outro lado, o leitor é reconhecidamente mais fiel por buscar exatamente o que você oferece devido à carência daquele material, seja em quantidade ou qualidade.

Além disso, anúncios em blogs de nicho costumam ser bem melhor segmentados, dando mais retorno. Se escolher um nicho para tratar no seu blog, certifique-se de que tem algo a oferecer sobre ele: todos os dias surgem milhares de novos blogs, e só a minoria – os que tiverem preparo, conteúdo e dedicação – seguirão.

Nichos inchados serão mais difíceis de explorar: metablogging parece um assunto extremamente popular, e eu jamais começaria ou aconselharia um nesse momento. Por sinal, só comecei o Blog Aprendiz (que nem considero um metablog clássico) pela necessidade de separar assuntos que surgiram no meu blog principal.

Avalie o Cenário e a Concorrência

Sites de humor são muitíssimo populares; em redes sociais, perfis de humor surgem e crescem em velocidade espantosa. Veja o caso da página Gina Indelicada: em questão de dias chegou a mais de um milhão de fãs. Entre os blogs mais visitados em língua portuguesa, muitos são de humor. Blogs com montagens e memes conseguem milhões de visitantes por mês. Se você tem talento para o humor, pense que há um segmento cheio de leitores interessados, mas também cheio de concorrentes.

Blogs “sérios”, como os que tratam de assuntos técnicos, serão mais fáceis de fazer crescer se o nicho tiver menos material à disposição. Tudo depende da procura: será que o assunto que você vai tratar é carente de informações no seu idioma? Usar ferramentas como o Google Insights pode ajudar a saber o que é mais pesquisado e desperta mais interesse.

Será que seus concorrentes diretos (os blogs que já falam sobre o que você pretende escrever) estão oferecendo o que o leitor quer ou há uma demanda carente que você pode satisfazer? Pesquise sobre sua aptidão e interesse antes de começar o blog e veja se o que encontra é satisfatório, escasso, inchado. É um nicho ou um assunto mais que desenvolvido? Quanto mais informações de qualidade e blogs de alto nível existirem, mais difícil será seu progresso (mas não impossível).

O Que Você Sabe?

Antes de começar faça uma auto-análise: você tem conhecimento suficiente sobre o que está se propondo a escrever? Mais do que criar um blog pensando em ganhar dinheiro ou ficar famoso(a), é preciso lembrar que pessoas absorverão seu conteúdo e se ele for superficial ou induzir ao erro, você estará contribuindo de forma negativa para o nicho.

Algumas pessoas podem pensar que basta escrever bastante e usar muitas técnicas de SEO para conseguir visitas, mas mantendo um baixo nível de conteúdo, cedo ou tarde o blog será penalizado. Não vejo vantagem em publicar vinte artigos por semana se a maioria tem qualidade duvidosa; num primeiro momento talvez eles atraiam visitas, mas podem ter efeito contrário no seu projeto num prazo mais longo: aumentar sua taxa de rejeição, reduzir o tempo de permanência no blog e tudo cai em cascata: CTR, ganhos, popularidade…

Por isso, prefira escrever sobre o que sabe, ou pelo menos tenha disposição para pesquisar e complementar seu conhecimento antes de falar. Se gasta vinte minutos para escrever dois artigos rasos, use o mesmo tempo para escrever algo mais completo. Será melhor pra todos.

O Que Você Gosta?

Outra questão a considerar: se você está entrando num blog só pelo dinheiro e nem gosta muito daquele tema, como espera fazer aquilo por anos? Ou pensa que basta fazer um esforço por alguns meses pra começar a faturar?

Esse é um dos grandes problemas dos novos blogueiros, que começam a todo vapor, com expectativas desmedidas, mas logo notam o desgaste e largam tudo pelo caminho. Alguns criam tanta expectativa em torno do próprio sucesso que, ao naufragar, passam a desacreditar do sucesso de quem está ao redor.

Às vezes gostamos de um assunto, mas não o bastante para escrever diariamente. Passei por algo assim pouco tempo atrás: encerrei meu blog sobre música porque, apesar de gostar de ler a respeito, não estava confortável em produzir conteúdo; meus artigos não acrescentavam grande coisa ao que já existia na internet e ainda por cima a rotina de escrita havia se tornado desagradável – eu não me divertia mais escrevendo.

Descobri um pouco tarde que não gostava de escrever sobre música, mas sim de ouvir música e aprender sobre. Haviam outros assuntos que me interessavam – e que eu conhecia – mais. Se você vai começar um blog sobre certo assunto só porque ele é popular e “deve ser rentável”, não comece, pois está fadado ao fracasso.

Conclusão

Escolher um assunto inadequado tem implicações que comprometerão seu projeto tanto ao nível estrutural quanto produtivo. Ninguém trabalha insatisfeito e produzir conteúdo útil e relevante sobre algo que não dominamos ou não gostamos é impossível.

Se ter um blog é opcional, faça a opção certa escolhendo falar sobre algo agradável e que flua de você sem transformar-se numa obrigação terrível: a escrita deve ser natural, como um papo entre você e o leitor, seja ele casual ou formal. Duvido que qualquer coisa diferente disso dure ou traga resultado financeiro, mesmo porque você não vai aguentar muito tempo sendo “escravizado” pelo blog. Pra mim não funcionou.

Imagem: Person question 

Fundador do Tutoriart em 2010, é ex-instrutor de Photoshop, design web e gráfico. Em quase uma década de redação online, tem cerca de 1500 artigos publicados. Gerencia também o Memória BIT.

Pin