Primeiros Passos

Como escolher o template ideal para seu tipo de blog

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr
Anúncios Google

Esse post é parte da série indicada aos iniciantes no WordPress.

Uma das grandes dúvidas de quem vai começar um blog, seja no WordPress ou qualquer outra plataforma, é como escolher o template ideal. Muita gente se pergunta se o tema é assim tão importante para o sucesso do projeto, ou se o que realmente importa é só o conteúdo.

Pode ter certeza que, mesmo suas publicações tendo boa qualidade, se você escolher um tema pobre, pesado, desorganizado, nada amigável aos motores de busca, sem personalidade, perderá uma boa fatia dos visitantes que conquistaria com outro de fácil navegação, limpo, legível e leve para carregar.

“Mas então, que tipo de tema devo escolher?” – isso depende de vários fatores, como o assunto que seu blog vai abordar, se a ocupação de blogueiro será profissional ou amadora, que tipo de público pretende alcançar, que recursos quer ter à disposição, quanto (e se) quer gastar, seu nível de conhecimento…

Parece complicado, então vamos dar uma examinada nas possibilidades.

Blog amador ou pro?

Antes de começar, deixe bem claro pra si mesmo o que pretende com seu blog. Será profissional, quer ganhar dinheiro e viver dele? Você terá tempo de atualizá-lo, fazer manutenção, e conhecimento suficiente para escrever sobre aquilo que se propôs a escrever?

Se a resposta para as questões for “sim”, então talvez valha a pena investir um pouco mais no projeto, e não é só comprar um tema de qualidade: entra nisso também a estrutura geral, como um domínio próprio (como “www.seublog.com.br”), um bom servidor de hospedagem paga e ocasionalmente, plugins pagos.

Tema pago ou gratuito?

Ambos têm vantagens e desvantagens, e a escolha certa depende de fatores como: quanto você pode e quer pagar (se é que quer), que recursos quer ter a disposição, etc.

Entre as vantagens do tema pago, as mais importantes são uma razoável “exclusividade” (ao contrário dos gratuitos, aqueles são usados num número muito menor de sites, logo, menos vistos), e a assistência  do desenvolvedor com a qual poderá contar. São também muito mais estáveis, com formas mais fáceis de personalizar, painéis de controle mais ricos, entre outras.

Falando isso parece que deixei os gratuitos desmoralizados… mas a vantagem nº1 deles é óbvia: o preço (zero). E ao contrário do que muitos pensam e até garantem , é sim perfeitamente possível encontrar temas grátis com excelente qualidade, é questão de procurar e filtrar bem (aqui no Tutoriart já indiquei alguns, veja na seção de temas). Se tiver bons conhecimentos em linguagens e marcações como PHP, HTML, CSS e Javascript (jQuery), o tema grátis pode ser modificado, adaptado e se tornar quase um novo.

Resumindo: se você tem pouco conhecimento, o tema pago é garantia de recursos mais acessíveis e quase sempre, a ajuda do desenvolvedor. Se sabe lidar com um pouco de PHP e CSS, pelo menos o bastante pra se virar sozinho, pode tentar o grátis.

Exclusividade

Um tema personalizado e exclusivo é importante para reforçar sua marca. Se o que você usa for muito bonito e organizado, mas visto em centenas de outros sites, quase sem alterações, é possível que o seu passe despercebido, pois não haverá identificação visual.

Você pode desenvolver um do zero, moldando-o completamente às suas necessidades, personalizar um tema já existente, ou pagar um profissional por esse serviço. Mas contratar um designer costuma ser bem caro (centenas ou até milhares de reais), tornando a opção inviável para quem não pode gastar muito.

Nesse caso, as opções via painel do próprio tema são as que restam. Alguns tem ajustes de cores, imagem de fundo e banner, com um nível considerável de customização. Por muito tempo usei aqui no Tutoriart, por exemplo, o tema Koi, com inúmeras modificações feitas tanto pelo painel quanto direto no código; depois, por mais de um ano, usei o Origin, também quase irreconhecível de tão modificado, e hoje (dezembro de 2013) estou com o Point. Todos eles são gratuitos. Com o conhecimento necessário, você pode simplesmente transformar quase que totalmente um tema (desde que o autor permita).

Preço x qualidade

É claro que ao adquirir um tema pago você deve ter, teoricamente, mais qualidade e recursos do que com temas grátis. Mas ao comparar temas, vai notar que a gratuidade não é garantia de pouca qualidade. Às vezes, ao contrário. Como foi dito antes, é possível achar temas que se encaixariam em qualquer projeto profissional de blog, sem custo, enquanto alguns pagos são feitos cheio de firulas só para vender aos usuários iniciantes, que se impressionam com sliders cheio de ajustes que nunca serão usados nem pela metade.

“E que vantagem o desenvolvedor levou em criar um tema tão bom, para depois oferecer de graça?”

Simples: divulgação. Para um profissional não é tão difícil produzir um tema, e vale a pena compartilhar um ou alguns de suas criações, que levam sua assinatura e marca, divulgando todos os seus outros, pagos.  Alguns saíram com mínimas falhas de design que o inutilizam para venda, mas ainda são úteis para 99% dos usuários médios.

Para usar esses temas gratuitos é recomendável que você tenha conhecimento sobre a estrutura do WordPress, como modificá-los e como ajustar e resolver problemas, já que raramente terá ajuda do desenvolvedor. Os temas grátis são oferecidos “no estado”, isto é, o autor não terá obrigação e nem disposição de ensiná-lo a resolver problemas sem ganhar nada. Pra piorar, quando existe alguma ajuda em fóruns, é quase sempre em inglês.

Visitantes “julgam o livro pela capa”

Você já deve ter ouvido: “não julgue um livro pela capa”. Mas é fato comprovado que na internet a maioria faz isso: ao visitar um site ou blog pela primeira vez, a aparência é avaliada, mesmo que de forma inconsciente, com mais peso até do que o conteúdo (ao menos nesse contato inicial).

Imagine que você criou seu blog, publicou alguns posts muito bons, mas acabou por escolher o template arcaico, com cores berrantes / inexpressivas, bagunçado, leitura difícil. Assim que a página for carregada o visitante vai pensar o mesmo que você, quando está no lugar dele: “muito bagunçado, de ter um péssimo conteúdo“. Alguns nem se dão ao trabalho de ler o que você escreveu.

É triste, mas verdade. Se não exatamente a beleza, ao menos a organização é fundamental para que seu blog seja respeitado e deixe uma primeira boa impressão no visitante. E se a primeira impressão for acompanhada de um impacto visual (não tome impacto visual por carnaval; impacto pode vir com um tema minimalista), é quase certo de que será a primeira de outras visitas.

Lembrando outro ditado: “não há segunda chance de se causar uma primeira boa impressão“.

Minimalismo x complexidade

Alguns confundem “tema bonito” com uso e abuso de sombras, menus com efeitos de degradê, muita textura e várias imagens de fundo. Não que esses efeitos sejam ruins, mas ao ver temas como o Structure (pago, tem versão free com menos recursos), nota-se que o minimalismo, quando feito com bom gosto, também pode resultar em temas atraentes visualmente.

Preview do tema Structure

Se você vai escrever sobre artes e design, um tema mais sofisticado pode ser legal, um complemento entre conteúdo e tema. Por outro lado, num blog jornalístico, informativo ou de serviços, onde a atenção do leitor está 100% em dados e textos, temas “clean” (limpos, claros) e minimalistas são melhores.

Facilidade de leitura

Principiantes costumam “viajar” também na escolha de cores, criando verdadeiros desastres visuais, tornando a aparência infantil em blogs de medicina, minimalista e conservadora em outro sobre festas infantis, ou antiquado num blog sobre tecnologia.

Pior do que estragar a “atmosfera” é tornar a legibilidade um inferno. Letras brancas sobre fundo amarelo-claro, ou texto verde-limão sobre fundo vermelho podem ficar até razoáveis numa primeira vista (só na sua opinião, mas tudo bem), mas experimente ler aquilo por dez minutos…  😮

Ao fazer escolhas de cores, mantenha o texto o mais legível possível, pois artigos longos com cores berrantes cansam a visão rapidinho, e o visitante vai desistir de seu blog.

Velocidade de carregamento

Mesmo que o site seja lento só no primeiro carregamento (o navegador cria arquivos temporários depois disso, acelerando futuras visitas), alguns visitantes simplesmente não toleram esperar mais que 5 segundos para ler alguma coisa, e pulam sem cerimônia para outro resultado de pesquisa! Quanto mais leve for o tema e mais rápido a página for carregada, maiores as chances de manter visitantes. Lembre-se disso ao escolher entre temas pesados e enfeitados ou simples e leves.

Em geral, imagens e elementos (scripts, flash, botões com imagem de fundo, texturas, etc) atrasam a página, pois o navegador precisa “pedir” todos aqueles dados ao servidor. Caso tenha o péssimo hábito de colocar fotos em alta resolução no blog, pode atrasar a página em dezenas de segundos, uma tragédia técnica. Use imagens menores, de preferência no formato PNG ou melhor ainda, JPG otimizado para web.

Organização

Os temas mais populares do WordPress são organizados em duas ou três colunas. Ao escolher o seu, atente para a disposição do texto. Se acha que ele fica muito “embolado”, com pouco espaço entre as colunas, procure outro. Se achou o layout ruim, outros também acharão.

Não há uma verdade absoluta, um modelo exato de organização que sirva para todos. Mas de novo, a escolha depende do que você escreve. Para posts curtas, temas com caixas de texto muito largas não funcionam tão bem. Se escreve longos textos e precisa aproveitar bem o espaço, duas colunas parece melhor – muitos blogueiros com foco no conteúdo já migraram até para temas de coluna única; se não pretende usar a barra lateral nem monetizar o blog, pode ser interessante. Blogs fotográficos pedem temas específicos para posts de imagens.

Recursos

Se vai usar o rodapé para exibir dados do blog, links, etc, deve checar se há suporte para widgets ali, senão terá que criá-lo via código, algo não muito acessível aos iniciantes. Temas podem obrigar o usuário a manter um link para a página do autor em local bem visível, ou ter só uma opção de cor, idioma… Outros detalhes, como otimização para os motores de busca (SEO) e atualização frequente também devem ser considerados na escolha. Se o desenvolvedor abandonou o tema, ele pode ficar incompatível em futuras versões do WordPress.

Procure conhecer todos os recursos do template escolhido para não ter dor de cabeça ao tentar implementar algo no futuro e simplesmente não tiver como.

Conclusão

Se você criou um blog é porque vai compartilhar algo; se quisesse escrever pra si mesmo, teria feito um diário. Por isso, não leve em conta só o seu conforto e opinião, mas também dos visitantes. Antes de escolher aquele tema super-colorido, cheio de enfeites e que pareceu “um pouquinho” difícil de ler, prefira um meio-termo entre beleza e organização.

Acima de tudo que foi escrito aqui, há um fator final: sua vontade. Quer fazer tudo ao contrário do sugerido? É seu direito e ninguém garante que não dará certo. Já vi por aí blogs com temas que fariam bonito no começo do milênio, com milhares de visitantes e fazendo sucesso. Não é comum, mas acontece.

E não esqueça que, embora a beleza ajude (e muito), só ela não adianta: se não tiver conteúdo de qualidade, seu blog não vai para a frente!

Anúncios Google

Fundador do Tutoriart em 2010, é ex-instrutor de Photoshop, design web e gráfico. Em quase uma década de redação online, tem cerca de 1500 artigos publicados. Gerencia também o Memória BIT.

6 Comments

  1. Obrigada por responder! Vou tentar fazer o que você disse e dar uma olhada nesse tema que você sugeriu assim que resolver um probleminha aqui, fiz atualização automática dos plugins e minha página saiu do ar… Não consigo aceder ao painel de controle do wordpress! Escrevi pra kinghost pra tentar solucionar… Grata!!

  2. Olá amigo! Sou iniciante no mundo da “programação”, estou aprendendo muito me jogando, mas apanho muito também! Não tenho condições por agora de pagar um profissional pra me ajudar, então fico sempre perguntando pro Sr. Google, mas às vezes ele não é tão atencioso assim!! 🙂 Tenho um site/blog wordpress e já estou usando um Tema que me agrada bastante pois me deixa customizar background, logotipo, enfim, mas tenho uma dúvida pois quando seleciono em categorias para ver os posts contidos nelas gostaria que eles aparecessem completos na tela e não apenas o título e aquele “… continuar lendo” pois como o que chama a atenção do público nas minhas postagens são as imagens e vídeos, dessa forma não fica convidativo continuar a ler… Será que você poderia me dar alguma dica? Se não posso alterar isso, tem algum tema que me poderia indicar? Já busquei bastante mas são tantos que fico até zonza… 🙂 Agradecida!!!

    • Oi Sandra!
      No seu caso, é característica do seu tema exibir apenas o resumo dos posts com o “ler mais”, e pra mudar, vai precisar editar o código da página (quase certamente o arquivo index.php), trocando o trecho que contém the_excerpt por the_content.
      Mas você pode usar outros temas, já preparados para exibir o post completos. O tema Splendio, por exemplo, mostra o último post na íntegra na homepage, com uma lista para os demais artigos recentes.

  3. Pingback: 20 Ótimos Temas Grátis para WordPress – Abril/2011 | Tutoriais Photoshop e Digital Art

  4. Parabens, conheci seu blog hj muito interessante , sou meramente um curioso, nao sou profissional.
    Mas com as dicas que consigo nesses blogs , algumas pessoas me acham profissional.
    Gostaria de pedir dicas de Template WordPress para Blogger …

    Obg

    • Olá, obrigado pelo comentário!
      WordPress e Blogger são plataformas distintas. Os temas para WordPress só servem para blogs do WordPress, o mesmo valendo para o Blogger.
      Infelizmente não posso indicar temas para Blogger pois não trabalho com esta plataforma. Mas as sugestões “técnicas” feitas neste artigo valem para blogs em geral.

Write A Comment

Pin