Primeiros Passos

Como criar e configurar o banco de dados do WordPress

Começando seu blog ou site com instalação própria do WordPress? Então aprenda a criar o banco de dados.
Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr
Anúncios Google

Vamos seguindo no passo a passo na criação de um blog em WordPress. Já passamos pela compreensão da diferença entre dois tipos de WordPress, compra do domínio, hospedagem, e uso de FTP. Agora, mais uma etapa fundamental: criação e configuração do banco de dados. É fácil, relaxe.

Para o site funcionar, ele depende de um banco de dados, um arquivo no formato SQL que guardará todas as informações inseridas ao longo de sua existência. Entre elas, tudo mesmo: título, descrição, nome de autor e conteúdo das postagens, endereços de imagens e mídias… É a “memória” além da beleza visual.

Esses bancos de WordPress são gerenciados quase sempre por MySql, um sistema que facilita demais, mas requer uso do servidor. Ao contratar um serviço de hospedagem para o projeto, ele deverá ter incluído em seus serviços o MySql. Senão, será preciso instalar por sua conta (caso de VPS e dedicados).

Funcionamento básico

Um esquema simples para entender o banco de dados:

  • Tudo começa no navegador. O visitante acessa uma página, que na verdade é um arquivo no formato PHP, um script processador armazenado no servidor.
  • O arquivo entrega um pedido ao motor PHP, um software também instalado no servidor. Se a página requisitou, por exemplo, o conteúdo de um post e o nome do autor, o PHP busca só esses dados no banco, que é organizado em tabelas.
  • Com os dados, o PHP completa o pedido, montado numa página em formato HTML.
  • A página é finalmente entregue ao navegador do visitante.

Tudo isso, claro, acontece muito rápido. A única função do banco de dados, portanto, é guardar texto, senhas, código, endereços de mídia e muito mais, que processados, formam a página que o visitante acessa.

Criando o banco no MySql

Acesse o painel de controle de seu serviço de hospedagem. Independente do tipo de painel, deve haver um link para o MySql DataBase Wizard. É o assistente que vai guiá-lo enquanto cria o banco de dados e um usuário.

Assistente de Banco de Dados MySql no painel de controle de sua hospedagem

Na primeira etapa: em New Database (Novo Banco de Dados), insira o nome do banco de dados. Você decide o nome, então procure algo que o permita lembrar do que se trata depois, como “seusite”. O prefixo (antes do underscore _) é automático.

Se surgir um botãozinho vermelho ao lado do nome que você forneceu, ele pode ter caracteres inválidos (nada de acentos, cedilhas, etc). Corrija até surgir um botão verde. Clique em Next Step (Próximo Passo).

Passo 1: Criando um Banco de Dados

Na etapa dois, crie um usuário para o banco de dados que acabou de criar. O usuário é a conta que terá permissão para manipular o banco de dados. Ele será depois relacionado ao seu site. Ou seja, o site será o usuário.

Em Username, digite o nome que quer dar ao usuário. Máximo de seis caracteres, sem acentos.

Em Password, será inserida a senha de acesso do usuário ao banco. Por questão de segurança, é altamente recomendável clicar no botão Password Generator, que vai gerar uma extremamente segura. Antes de confirmar o uso, trate de guardá-la, pois se perder e precisar depois, complica.

Senha gerada para o usuário. Guarde-a bem antes de usar

Guardou bem a senha? Marque a caixa “I have copied this password in a safe place” (Eu copiei esta senha num lugar seguro) e clique em Use Password. Os campos serão automaticamente preenchidos. Clique em Create User (Criar Usuário).

Senha gerada, clique em Create User

Na sequência, você vai dizer quais as permissões que o usuário terá. Segundo o manual de instalação no Codex do WordPress, é preciso garantir todas as permissões, enquanto alguns especialistas em segurança dizem que é exagero e descuido. EXECUTE e REFERENCES, por exemplo, seriam dispensáveis.

Outros recomendam que, durante a instalação, sejam garantidos todos os privilégios, mas depois do site rodando, estas sejam reduzidas apenas a INSERT, UPDATE, DELETE, CREATE, DROP e ALTER. Essa questão das permissões é complexa, já que a falta de uma pode implicar na inutilização de algum plugin ou tema, por exemplo.

Por enquanto, vamos garantir todas as permissões. Clique no botão ALL PRIVILEGES. Clique em Next Step (Próximo Passo).

Privilégios MySql

Tarefa completa. Seu banco foi criado com um usuário, que depois será vinculado ao seu site WordPress.

Banco de dados e usuário criados com sucesso

Vinculando site e banco de dados

Hora do site usar o novo db. Abra em um editor de textos puro (como o Bloco de Notas) o arquivo wp-config-sample.php, que está na pasta raíz da instalação do WordPress. Nesse arquivo serão inseridos dados importantes para o funcionamento e segurança do site.

Neste trecho…

// ** Configurações do MySQL - Você pode pegar essas informações com o serviço de hospedagem ** //
/** O nome do banco de dados do WordPress */
define('DB_NAME', 'nomedoBD');

/** Usuário do banco de dados MySQL */
define('DB_USER', 'usuarioMySQL');

/** Senha do banco de dados MySQL */
define('DB_PASSWORD', 'senha');

Em cada define, coloque os nomes do banco de dados, do usuário, e a senha. No nosso exemplo, as alterações deixariam os valores assim:

/** O nome do banco de dados do WordPress */
define('DB_NAME', 'nome_blogdeteste');

/** Usuário do banco de dados MySQL */
define('DB_USER', 'nome_testadr');

/** Senha do banco de dados MySQL */
define('DB_PASSWORD', '#HIB;ITvwQJq');

Com isso, está feita a ligação entre site e o banco de dados. Para mais segurança, insira também as chaves de autenticação, um pouco abaixo no documento. Para gerar chaves de segurança complexas, visite o link do serviço de chaves do WordPress, copie as senhas geradas e cole-as no seu arquivo.

Fora isso, NÃO MUDE MAIS NADA NO WP-CONFIG, é o bastante. Salve o arquivo com o nome wp-config.php (sem o sample), ou salve-o e depois edite o nome, tirando o sample. Mande pro servidor. É hora de visitar seu endereço.

Nota: é recomendável excluir o arquivo wp-config_sample do servidor, caso ele já esteja lá. Ele pode ser usado por scripts maliciosos e outros tipos de exploit.

Visite o endereço do seu site. Se aparecer o visto abaixo, é porque tem algo errado no wp-config. Provavelmente você não lhe deu o nome “wp-config.php”, ou está na pasta errada.

Falta do arquivo wp-config resulta nisso

Se surgir uma mensagem de “Erro ao estabelecer uma conexão com o Banco de Dados“, então o wp-config foi encontrado, mas a conexão entre site e banco de dados falhou por erro 1. entre a permissão do usuário com o banco de dados, ou 2. ao vincular o wp-config com estes. Reveja o que foi feito no wp-config. Veja se não trocou _ por -, se digitou os nomes de banco e usuário corretamente.

Depois das devidas correções, envie o arquivo para o servidor e atualize a página. Com tudo certo, enfim aparece isto:

Instalação do WordPress quase completa, já com banco de dados funcionando

Acabou a parte difícil (nem foi tão difícil assim). Seu site está quase pronto, restam configurações e ajustes finais.

  • Em Título do site… o título do site =D
  • Em Nome de usuário, o nome que você vai usar para fazer login.
  • Senha, duas vezes. Use uma forte para dificultar invasões.
  • Seu endereço de e-mail.
  • Privacidade: marcando a caixa, você permite que sistemas de busca indexem o conteúdo do site. Mesmo não marcando, alguns robots podem desrespeitar a regra; não é uma ferramenta muito segura, está mais pra recurso adicional.

Complete, clique em Instalar WordPress. Fim.

Instalação do WordPress completada

Clique em Login para seguir ao painel de controle de seu novo site. Sempre que for acessar o painel, siga até www.seusite.com/wp-admin.

Faça login em seu blog usando seu nome de usuário e senha

Fundador do Tutoriart em 2010, é ex-instrutor de Photoshop, design web e gráfico. Em quase uma década de redação online, tem cerca de 1500 artigos publicados. Gerencia também o Memória BIT.

Pin