Diversos

Adobe diz que usuários de versões antigas do Photoshop podem ser processados

Por problemas com terceiros, empresa vem notificando clientes que usar versões antigas de seus programas pode ser quebra de licença - mesmo que você tenha pago por ele.
Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr
Anúncios Google

A Adobe está advertindo usuários de aplicativos de sua Creative Cloud que eles não podem mais, legalmente, usar versões antigas dos softwares. Avisos começaram a ser disparados essa semana para alguns usuários do Lightroom Classic, Photoshop, Premiere, Animate e Media Director.

“Recentemente descontinuamos certas versões antigas de aplicativos da Creative Cloud, e como resultado, sob os termos de nosso acordo, você não está mais licenciado a usá-los”, diz a Adobe no e-mail. “Por favor, esteja avisado que caso continue usando as versões descontinuadas, você pode estar em risco de potenciais avisos de infração de direito autoral de terceiros”.

Os possíveis processos, no caso, não seriam movidos pela Adobe, mas por outras empresas. Óbvio que os usuários não gostaram muito.

Pode isso, Arnaldo? Esse o problema na ilusão de que, ao “comprar” um software, você adquire uma licença vitalícia. Licenças não são como bens físicos; você está pagando por aquilo que os termos de uso descrevem. Um programa geralmente envolve direitos de várias empresas e pessoas. Quando algo acontece — como uma expiração ou diferença jurídica — termos mudam. E aí, adeus legalidade.

Dolby vs Adobe

É o que está acontecendo nesse caso: segundo o site AppleInsider, a questão seria um processo movido pela Dolby contra a Adobe. A ação, iniciada em março desse ano, alega “violações de direito autoral e quebra de contrato” por parte da Adobe. Antes da criação da Creative Cloud (que fornece os programas da Adobe através de assinaturas), a empresa licenciava tecnologias da Dolby num acordo baseado em quantos discos eram vendidos. Com o software na nuvem, as empresas renegociaram, baseando o acordo no número de usuários que executam o software.

Segundo a Dolby, o novo acordo condicionava que números reportados pela Adobe fossem examinados por uma auditoria de terceiros.

“Quando a Dolby procurou exercer o seu direito de auditar os livros e registros da Adobe para garantir relatórios e pagamentos adequados, a Adobe se recusou a participar de práticas básicas de auditoria e compartilhamento de informações; práticas que a própria Adobe exigiu de seus próprios licenciados”, diz o documento.

Com isso, a Dolby não tem como ter certeza de quanto tem direito a receber, e daí o processo. A Adobe confirma a autenticidade da mensagem, mas não que essa “terceira” seria a Dolby.

Como fica?

A Adobe avisa que os usuários não devem mais usar versões antigas. Então, se você é assinante da Creative Cloud, terá que estar sempre com a versão mais recente do Photoshop, por exemplo. Isso é terrível, já que tira a escolha do cliente e limita sua possibilidade com máquinas mais antigas, por exemplo.

Fundador do Tutoriart em 2010, é ex-instrutor de Photoshop, design web e gráfico. Em quase uma década de redação online, tem cerca de 1500 artigos publicados. Gerencia também o Memória BIT.

Deixe um Comentário

Pin